Gestores da saúde divergem sobre negligências no hospital

  • Redação Clubei

Gestores da saúde divergem sobre negligências no hospital

A morte da menina Pietra Gabrielly Abelino de nove meses, na emergência do Hospital Monsenhor José Locks, trouxe à tona as discussões para denúncias de negligencia na unidade hospitalar. O tema vem gerando desconforto dentro do comando da instituição e a Secretaria de Saúde.

Secretário do Saúde, Jaci Silva e novo diretor do Hospital, Amarildo Darosci

Secretário do Saúde, Jaci Silva e novo diretor do Hospital, Amarildo Darosci, divergem sobre casos de negligência.

Amarildo Darosci confirmou em entrevista na segunda-feira (21), que alguns casos foram negligenciados. Ele afirmou que no caso do pai da vereadora Vera Lúcia Peixer de Amorim, que chegou ao hospital com dores no peito, foi feito um eletro, mas não um exame de enzima cardíaca. E ele foi liberado.

“Concordamos que houve negligência na parte médica, porque podia ter feito à enzima cardíaca. Eu não sou médico, mas no dia-a-dia a gente vê isso. Foi falado sobre isso”, afirmou o diretor. Amarildo diz que o hospital é limitado e teria dificuldades em evitar os casos de erros nos diagnósticos.

Na segunda-feira o secretário de Saúde, Jaci Silva, falou que os hospitais pequenos estavam fechando por falta de equipamentos capazes de evitar os erros. “Na grande verdade um hospital do nosso porte é atendimento básico. Nossos profissionais não têm equipamentos suficientes para salvar a vida como a dessa criança”, disse.

Já na terça-feira (22) a versão do secretário de Saúde mudou. “Eu descarto que houve negligência até porque nosso compromisso é com a saúde, salvar vidas. Se ele foi infeliz nessa colocação […], o estado de nervos ontem foi muito grande, muita pressão. Mas, nós temos certeza que nossos profissionais estão ali e se dedicam para o melhor atendimento a comunidade”, afirmou.

Apesar de perguntado diversas vezes se poderia instaurar uma sindicância para apurar as denúncias de erros médicos, o secretário de Saúde, desconversou e apresentou os números de atendimentos realizados em um único dia no Hospital. “No dia de ontem (segunda-feira), passaram de 100 atendimentos. Destes, 70% são consultas”, disse.

“A palavra negligência eu realmente desconheço, porque nosso objetivo é salvar vidas e atender as pessoas”, argumentou Jaci. A polêmica envolvendo mortes provocadas supostamente por falhas de procedimento no Hospital Monsenhor José Locks devem ficar sem respostas. Já as versões diferentes do Secretário de Saúde e do Diretor da unidade hospitalar vão possibilitar o aumento das especulações.

O caso envolvendo a morte de Pietra Gabrielly Abelino na sexta-feira (18), já está nas mãos da Polícia Civil de São João Batista que deve investigar as circunstâncias e acusações apresentadas pelos pais da menina.

Deixe seu Comentário

Sua opnião é importantíssima para continuarmos a melhorar nosso trabalho.