Fube se posiciona sobre o caso de Thuany Bardin

  • Redação Clubei

Fube se posiciona sobre o caso de Thuany Bardin

NOTA OFICIAL DA FUBE

Educar pelo esporte. Este é o lema da Fundação Batistense de Esportes (Fube) e não é por acaso. Mais que resultados esportivos, prezamos por respeito, honestidade, transparência. Aspectos que, infelizmente, não parecem fazer parte da conduta da Associação Joaçabense de Voleibol (Ajov), a julgar pela forma como a transferência da atleta Thuany Bardin vem sendo conduzida. Prova disso é a forma irresponsável como o assunto foi veiculado junto à mídia. Diante disto, cabem alguns esclarecimentos:

1º ponto: A Fube conta com um trabalho bastante qualificado na modalidade, que evoluiu ao longo dos anos e hoje é referência em Santa Catarina, com três professores diretamente ligados ao voleibol. As atividades, determinantes para desenvolver o potencial dos jovens talentos do município, contam, além da prefeitura, com o apoio de diversas empresas. Mais do que as conquistas, como as obtidas em 2017 (títulos da Liga Catarinense, da Liga AEVI e do estadual Pré-Mirim, além do vice da Taça Paraná e do estadual Mirim), o trabalho auxilia na formação da cidadania dos atletas. Em razão disto, defendemos condutas adequadas moralmente.

2º ponto: Diferente do que vem sendo divulgado, não estamos contra a Thuany e ela não está impedida de treinar nem jogar voleibol pela Ajov, tanto é que isto vem ocorrendo há cinco meses. Apenas por ser vinculada à Fube, a atleta não pode participar das competições promovidas pela Federação Catarinense de Voleibol pela agremiação, podendo jogar nos demais campeonatos.

3º ponto: Desde o início, a Fube foi mantida alheia ao caso, com a Ajov tendo procurado diretamente a atleta e seus pais. Somente meses após a Thuany deixar São João Batista, ao perceber a necessidade da anuência da Fube para oficializar a transferência junto à Federação Catarinense de Voleibol, a equipe de Joaçaba entrou em contato.

4º ponto: Outros casos, semelhantes ao da Thuany, já ocorreram no passado e tiveram prontamente a anuência da Fube. A diferença? A forma aberta e leal como as transferências foram conduzidas. Um exemplo é a atleta Fernanda Visentainer, que está jogando em Blumenau.

5º ponto: É deplorável como a Ajov, inclusive sujeitando a Thuany a uma exposição desnecessária, tenta pressionar a transferência. A tentativa de colocar a comunidade de São João Batista contra aFube, uma instituição séria, que desde 2005 atua não só na formação de atletas como de cidadãos, afasta qualquer tipo de entendimento.
Diante do exposto, a Fube informa que não compactua com os procedimentos adotados pela Ajov, que podem ser interpretados até como aliciamento, e, por conta disso, não nos resta alternativa do que recomendar aos interessados que requeiram a transferência via judicial. Além de aconselhar a quem realmente se importa com a atleta, que é sua família e não a Ajov, a ficar atento a quem se aproxima com objetivos nem sempre claros.
Por fim, em que pese a situação, gostaríamos de desejar a Thuany sucesso no prosseguimento de sua carreira. Talento a atleta tem de sobra e temos convicção que ela alcançará todos os seus sonhos.

Marcelo Machado
Diretor da Fube

Graziani Souza
Técnica de voleibol

O caso

A atleta Thuany Bardin, destaque das categorias de base da Fube, juntamente com a Ajov sua atual equipe, vieram a público nos últimos dias, levantando acusações de má vontade por parte do Diretor da Fube, Marcelo Miranda Machado, em conceder a atleta a transferência para que ela possa atuar por sua atual equipe. Em uma vídeo postado através das redes sociais, Thuany alega que está impedida de participar de campeonatos estaduais por Marcelo não atender a solicitação de assinar sua transferência.

Deixe seu Comentário

Sua opnião é importantíssima para continuarmos a melhorar nosso trabalho.