Renda familiar de Canelinha é a pior do Vale

  • Redação Clubei

Renda familiar de Canelinha é a pior do Vale

renda-familiar-1Canelinha é o município do Vale do Rio Tijucas em que as famílias apresentam a menor renda. Segundo dados do IBGE, cada família canelinhense recebe por mês em média, R$ 2.061,96. A cidade ocupa a 215ª colocação entre os 293 municípios de Santa Catarina. Os dados apresentam uma disparidade na renda das famílias nos cinco municípios da região. A diferença na renda das famílias da primeira para a última colocada no Vale é de R$ 553,99.

 

A renda média das famílias de Nova Trento é a maior do Vale Rio Tijucas. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a renda das famílias neotrentinas é de R$ 2.615,91. O município ocupa a 88ª posição entre as 293 cidades catarinense.

 

Tijucas, a maior cidade do Vale fica em 2º no ranking com renda média de R$ 2.523,92. Comparado com os demais municípios fica em 111º lugar. Já Major Gercino ocupa a 154ª posição, com renda média de R$ 2.376,98.

 

Apesar de São João Batista apresentar uma densidade industrial acima da média regional, o município fica em 3º lugar no Vale e 120ª posição em Santa Catarina. A renda média do batistense é de R$ 2.496,92.

 

A renda média das famílias de Florianópolis por mês é de R$ 5.014,95, mais do que o dobro da média de Santa Catarina. O índice da Capital também é o maior entre as 30 cidade catarinense mais populosas. O cruzamento dos dados foi realizado pelo Noticenter, especializado em economia.

 

No ranking estadual, Florianópolis perde apenas para o município de Rio Fortuna, do Sul do Estado, onde o rendimento médio das famílias é de R$ 5.310,87. Outras cidades que se destacam são Treze Tílias (R$ 4.432,90), Balneário Camboriú (R$ 4.346,98) e Presidente Castello Branco (R$ 4.024,26).

 

Entre as 30 cidades mais populosas do Estado, depois de Florianópolis e Balneário Camboriú, aparecem Timbó (R$ 3.799,07), Blumenau (R$ 3.741,72) e Joinville (R$ 3.553,45), que completam as cinco primeiras posições.

 

Na sequência aparecem Jaraguá do Sul (R$ 3.441,88), Brusque (R$ 3.426,92), São José (R$ 3.413,01), Rio do Sul (R$ 3.336,69), Criciúma (R$ 3.258,89), Tubarão (R$ 3.172,27), Itajaí (R$ 3.168,73) e Chapecó (R$ 3.100,54).

 

Texto: Jonas Hames

Dados: Noticenter

 

Clique abaixo e veja a tabela completa:

Rendimento médio das famílias catarinenses

 

Deixe seu Comentário

Sua opnião é importantíssima para continuarmos a melhorar nosso trabalho.