Atentados contra forças de segurança são registrados em represália a morte de traficante em Tijucas

  • Redação Clubei

Atentados contra forças de segurança são registrados em represália a morte de traficante em Tijucas

Uma delegacia de Polícia Civil em Florianópolis e a casa de um policial em Palhoça, na Grande Florianópolis, foram alvo de disparos entre a noite de terça-feira (7) e madrugada desta quarta-feira (8).

Desde sexta-feira (3) foram registrados pelo menos onze atos criminosos e confrontos policiais em quatro cidades da região. A PMSC diz que ataques podem ter sido em represália à morte de um suspeito de tráfico em Tijucas, morto na última sexta-feira (3) em confronto com a Polícia Militar no bairro Imacol.

Conforme a Polícia Militar, na terça-feira à noite, por volta das 21h, a 2ª Delegacia de Polícia Civil, que fica no bairro Saco dos Limões, foi alvejada por disparos de arma de fogo. Até esta quarta-feira, a polícia não tinha informações sobre os suspeitos dos tiros.

Já a meia-noite desta quarta-feira, a casa de um sargento no bairro Barra do Aririú, em Palhoça, foi atingida por ao menos seis tiros. Ninguém ficou ferido, conforme a PM.

De sexta a segunda, conforme a PM, na região foram registradas três mortes de suspeitos, bases policiais e do Centro Administrativo do estado foram alvejadas e uma casa de PM atingida por tiros. Os casos ocorreram em Tijucas, São José, Palhoça e Florianópolis.

“A gente acredita que essas represálias tenham sido desencadeadas a partir desta morte que houve no confronto, onde faleceu uma pessoa ligada a lideranças de uma facção criminosa aqui da Ilha, especificamente do Morro do Mocotó”, disse o comandante-geral da PMSC, coronel Araújo Gomes, na terça-feira.

Deixe seu Comentário

Sua opnião é importantíssima para continuarmos a melhorar nosso trabalho.