Vereador Calinho e Sebastião são presos; Alécio Boratti e Mário Soares foram conduzidos coercitivamente

  • Redação Clubei

Vereador Calinho e Sebastião são presos; Alécio Boratti e Mário Soares foram conduzidos coercitivamente

Durante as primeiras horas da manhã desta segunda-feira (24), Policiais do Grupo de Operações de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), deflagraram no município de São João Batista a operação denominada “Ressonância”, que basicamente investiga fraudes na saúde pública do estado, foram cumpridos 19 mandados de Busca e apreensão, 8 de prisão preventiva e 3 de condução coercitiva, nos municípios de Florianópolis, Palhoça, Biguaçu, São João Batista e Major Gercino.

No canto superior esquerdo Alécio Boratti; Canto sup. direito Sebastião F. Filho; Canto inf. esquerdo Calinho; Canto inf. direito Mário Soares.

No canto superior esquerdo Alécio Boratti; Canto sup. direito Sebastião F. Filho; Canto inf. esquerdo Calinho; Canto inf. direito Mário Soares.

Segundo informações, em São João Batista foram alvos da operação, Sebastião Filho (PP), e Carlos Francisco da Silva (PP), eles foram presos de forma preventiva, além deles foram levados de forma coercitiva para prestar depoimento em Florianópolis o presidente do Legislativo Mario Soares (PP) e o vereador eleito Alécio Boratti (PP), em Major Gercino Danilo Gambeta motorista da área da saúde e candidato do (PR) nas últimas eleições foi levado Capital para prestar depoimento, segundo informações do Ministério Público de Santa Catarina, eles teriam marcado pelo menos 50 exames e consultas no último ano, a operação teve início em novembro de 2015, após denúncia da Secretaria Estadual de Saúde.

O quarto político preso foi o vereador em Biguaçu Manoel Airton Pereira, o Bilico (PP). Bilico foi reeleito no dia 02 de outubro como o mais votado entre todos os candidatos a vereador, com 1.354 votos. Os mandados de Busca e de prisão estão sendo cumpridos desde cedo em Florianópolis, Palhoça, Biguaçu, São João Batista e Major Gercino.

A operação “Ressonância” apura crimes de Falsidade Ideológica, Inserção de Dados Falsos nos Sistemas de Informação, Corrupção Passiva, e Crimes Eleitorais, envolvendo cinco agentes públicos e terceiros, os quais basicamente, estariam sistematicamente violando a fila de espera do Sistema Único de Saúde (SUS) para realização de exames de ressonância e tomografia, por intermédio de procedimentos irregulares e cobrança de valores dos pacientes.

Deixe seu Comentátio

Sua opnião é importantíssima para continuarmos a melhorar nosso trabalho.