Secretária de Educação esclarece mudanças na educação batistense

  • Redação Clubei

Secretária de Educação esclarece mudanças na educação batistense

Na manhã desta sexta-feira (20), a Secretária da Educação de São João Batista esteve nos estúdios da Rádio Clube, participando do Jornal da Manhã. Roseli destacou diversos assuntos envolvendo a educação no município, mas principalmente esclareceu alguns pontos sobre a polêmica dos últimos dias envolvendo professores ACTs.

Os professores Admitidos em Caráter Temporário (A.C.T), fizeram manifestações contra uma suposta desvalorização da classe dos educadores, segundo os professores o projeto que o prefeito Daniel Netto Cândido enviou ao legislativo que prevê uma mudança principalmente no atendimento das creches, prejudicaria não apenas os professores, mas a educação municipal. Atualmente trabalham duas professoras por turma, no projeto trabalhariam uma professora e uma monitora, o objetivo da mudança seria a contenção de gastos. Já que o piso salarial atual de um magistrado é de R$ 2.298,80 e um monitor ganharia apenas um salário mínimo, ou seja R$ 937,00.

A Secretária esclarece que todos os professores realizaram o processo seletivo do qual nem todos serão chamados, “não estamos desvalorizando a educação, estamos nos adequando a padrões já seguidos em todo o Brasil, pois se continuarmos da forma como estamos, não poderemos honrar nossos compromissos e o município vai parar, devemos ter consciência, pois os monitores que auxiliarão as professoras em sala de aula receberão capacitação continua, temos responsabilidade e compromisso com a otimização da educação em nossa cidade”, destacou Roseli Peixer, professora há mais de 30 anos.

Roseli disse ainda que em reunião com os vereadores nesta quinta-feira (19), foram esclarecidos todos os pontos sobre o projeto que deve ser votado em sessão extraordinária na próxima sexta-feira (27). Segundo a secretária pelo menos 46 cargos de professoras devem se transformar em cargos abertos para monitoras, para estes cargos será aberto um novo processo seletivo ao qual professores que não forem chamados, poderão se candidatar.

Durante toda a entrevista Roseli deixou claro que São João Batista está entrando nos moldes seguidos por diversos municípios Brasil a fora, para operar dentro dos limites de gastos previstos em leis de responsabilidade fiscal, mas sem tirar a qualidade do ensino.

Deixe seu Comentário

Sua opnião é importantíssima para continuarmos a melhorar nosso trabalho.